10.5.11

Um achado na Anchieta

Na Rua Anchieta, existe um sítio maravilhoso para quem tenta calcular esta difícil equação num dia de semana:
 
Chiado + almoço saudável + preço acessível + local calmo, tranquilo, zen (repito, local calmo, tranquilo, zen; sim, no Chiado)
 
A resposta chama-se Instituto Macrobiótico de Portugal (IMP). Num tímido 1º andar entre a Vida Portuguesa e o abarrotadíssimo Kaffehaus, existe esta pérola, esta agulha no palheiro que o traçado pombalino consegue ser. Além das conferências, cursos, aulas, consultas em áreas como o Chi-kung, Yoga, Pilates, Feng-Shui, Shiatsu e outras 1.500 coisas com as quais não estou nada familiarizada, este IMP permite almoçar fantástica comida macrobiótica por nove euros.
 
Tal como na escola, compra-se uma senha, na recepção/loja, que dá direito a sopa, prato, sobremesa e chá. Claro que há buffets, como o Jardim dos Sentidos, por exemplo, que permitem almoçar pelo mesmo preço, repetir a dose e comer até cair. Mas, muitas vezes, come-se efectivamente mais do que a conta. Afinal, está ali à mão toda uma mesa cheia de iguarias e "epá, se é vegetariano, é saudável" (yeah, right...beringelas com queijo gratinado, lasanha de legumes com béchamel, "bolinhas que se chamam sei lá como" fritas, uns snacks género Doritos, and so on).
 
Aqui o prato já vem "montado", é verdade (pode fazer alguma espécie esta ausência de menu e "toma lá a tua ração que daqui não levas mais nada"), mas com o suficiente para se comer bem e sair plenamente satisfeito, sem aquela sensação de "ai que preciso de uns sais ou de uma Água das Pedras".  E, o melhor, é que podemos almoçar em paz num ambiente familiar (somos nós que vamos buscar a comida à cozinha), povoado de pessoas simpáticas e amáveis (e parecem-no ser de forma tão genuína que até faz impressão).
 
Ingénua como sou, pensei que frequentar aquele local até conseguia atribuir generosidade aos demais, assim como que por osmose. O tipo giro e solitário, da mesa do fundo, trouxe-me a sobremesa e eu agradeci de forma deveras entusiasta aquele gesto inesperado ("oh, tão amoroso...ofereceu-se para trazer o que me faltava depois de levar o seu prato à cozinha...). Horas depois, folheava a brochura do IMP, com o programa Primavera-Verão, e lá estava ele, o bonitão que me trouxe um folhado muito suave de maçã e canela: consultor de Feng-Shui no Instituto. Colaborador da casa, portanto. Mas é a crise: há que ser polivalente. Compreensível.
 
Recomendo vivamente a apreciadores de comida macrobiótica e, sobretudo, aos amantes da tranquilidade na pausa do almoço (e do Feng-Shui, que me pareceu ser uma disciplina com um potencial de mais de 1,80m a explorar).
 
A repetir.
 
www.e-macrobiotica.com
 
publicado por ARA às 00:17
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Pedro Neves a 10de Maio de 2011 às 10:28
Delicioso, o texto, e o sítio, que vou ter de ficar a conhecer! Combinamos almoço? ;)

Comentar post

Seguir no SAPO


ver perfil
seguir perfil

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

grande animação! ;)
Se foi essa tragédia toda por causa de uma venda n...
Hmm, eu pensei que não valia a pena por Billy ou B...
Nunca imaginei que um simples anúncio poderia prov...
Obrigada, mami! Graças a elas, há material para po...

Posts recentes

Deixe o amor entrar*

Do Barril

Das leis do Universo

A Guerra dos Tronos

A menina escreve?

Arquivo

Novembro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Janeiro 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Mais comentados

subscrever feeds