2.11.15

Das doenças dos tempos modernos

 

“Porque é que não acabas com isto?”

 

Ela devia ter razão. Afinal, ali estava eu, escondida dos meus colegas, na casa de banho, com a cara esborratada de rímmel e uma disfunção mental digna de internamento. Tinha chegado ao meu limite. Na segunda-feira seguinte, pedi a minha demissão. Não tinha outro emprego assegurado nem a menor ideia do que ia fazer. Sabia que não estava a fugir mas sim a tentar proteger o que restava da minha pessoa.

 

Dias depois, comecei a sentir grandes melhoras nos sintomas da doença que me tinha sido diagnosticada meses antes. Síndrome do Cólon Irritável. Vamos simplificar para SCI que “cólon” já por si é mau, quanto mais irritado.

 

“Fofinha, isso é tudo psicológico. Você precisa relaxar, encontrar escapes para o estresse do dia-a-dia, ter mais tempo pra você”, disse-me a Doutora (não torças o nariz pequeno grammar nazi, a senhora é brasileira).

 

O diagnóstico do SCI baseou-se em várias análises ao sangue, raio x, endoscopia e colonoscopia. Sim, tiveram que me enfiar um tubo rabo acima para assegurar que o meu problema era mental.

 

Inicialmente, achei que o meu metabolismo estava com uma crise de personalidade. Tudo o que entrava, saia rapidamente. “Deve ser dos cereais integrais”, pensava. Depois, achei que era celíaca ou intolerante à lactose. Durante um mês, cortei no glúten e em tudo o que pudesse ter qualquer vestígio de leite. No final de contas, e depois de gastar pequenas fortunas nos alimentos de substituição, percebi que não era nada daquilo.

 

“Isso tudo é sistema nervoso”, dizia a minha mãe enquanto eu continuava em modo negação. Cagar de meia em meia hora não tinha nada de psicológico. Tinha cheiro e era real. Se a isso somarmos os exercícios contorcionistas da tripa, a banda sonora e a barriga de nove meses ao final do dia…pois, não podia ser psicológico. Mas era. Os vários exames assim o comprovaram e eu, finalmente, aceitei que esta doença era sinal de alerta de um mal muito maior.

 

Esta história já tem alguns anos. Recupero-a para lembrar que nenhum emprego vale a nossa saúde. É certo que a demissão, no meu caso, foi um desfecho extremado, vá. Mas foi o caminho certo para mim, na época, do qual não me arrependo.

 

O importante, acima de tudo, é agir aquando dos primeiros sintomas, seja um distúrbio gastrointestinal, privação de sono, falta de concentração, entre outros. Se o emprego está a afectar aspectos da nossa integridade física e psíquica, é altura de olhar friamente para a situação e actuar. Nem sempre é fácil reconhecer o mal e, mais difícil ainda, pedir ajuda. 

 

Apesar das voltas que a minha vida tem dado, felizmente, posso dizer que o SCI está controlado. Não tomo qualquer medicação e voltei a consumir lacticínios sem qualquer problema. No entanto, estou consciente de que, a qualquer momento, algo, ou alguém, pode despertar a fúria do bicho.

 

Por isso, é tentar viver um dia de cada vez. E ter muita, muita calma. 

 

publicado por ARA às 12:18
link do post | comentar | favorito (1)
4 comentários:
De Carochinha a 2de Novembro de 2015 às 20:50
Minha bolachinha, como te percebo. Por aqui nada de síndromes de nada irritável mas também já me despedi (tu sabes! ;) )quando percebi que o meu corpo estava a dar sinais. Não há trabalho que justifique termos menos saúde. Nenhum.
Bola para a frente! Beijocas com saudades*
De ARA a 3de Novembro de 2015 às 17:18
Meu capitão, gostei tanto de ver aqui os teus comentários :) Bola para a frente e água das pedras para dentro!!! Saudades. Beijo!
De Simplemist a 3de Novembro de 2015 às 22:59
"Sim, tiveram que me enfiar um tubo rabo acima para assegurar que o meu problema era mental."

Poesia, minha cara Bi.
Poesia!
:)
De ARA a 4de Novembro de 2015 às 13:57
Sabia que ias gostar :D

Comentar post

Seguir no SAPO


ver perfil
seguir perfil

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

grande animação! ;)
Se foi essa tragédia toda por causa de uma venda n...
Hmm, eu pensei que não valia a pena por Billy ou B...
Nunca imaginei que um simples anúncio poderia prov...
Obrigada, mami! Graças a elas, há material para po...

Posts recentes

Deixe o amor entrar*

Do Barril

Das leis do Universo

A Guerra dos Tronos

A menina escreve?

Arquivo

Novembro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Janeiro 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Mais comentados

subscrever feeds