20.11.15

DDTC ou um post para maiores de 30

 

Recentemente, em conversas com amigos e leituras online, percebi que estou muito desactualizada no que toca às tendências do amor e do desamor na rede. 

 

Apenas ouvi falar do Tinder, e apps semelhantes, há um par de dias. Diz que agora também há serviços de subscrição paga com vista ao adultério, o Second Love. Ontem, li que criaram algo chamado The Breakup Shop, um conceito que permite terminar relações delegando a tarefa a terceiros. Hoje, vi uma notícia de que o Facebook irá disponibilizar, brevemente, uma série de ferramentas a quem altera o status para Solteiro. Esses recursos vão possibilitar remover, rápida e facilmente, os vestígios de fotos, posts e tags relacionados à/ao ex.

 

Sem entrar em críticas ou apologias destas aplicações e serviços, a verdade é que são sinais dos tempos. “Plataformas” para o engate e para o engano sempre as houve. Os nomes e o suporte eram outros, contudo, as intenções, boas ou más, já lá estavam. Bailes e Cabarets da Coxa viraram Bares e Discotecas. Mensagens de fumo e gravuras rupestres são, hoje, Facebook e Instagram.

 

Lembro-me bem da primeira vez que navegámos na Web a partir de casa. Eu e o meu acne. Cabo telefónico ligado ao computador, o som indescritível da ligação à Internet (que haveria de ouvir até à exaustão, tal era a dificuldade em ter sucesso), o tic tic dos impulsos. Ah, bons momentos que a Internet proporcionava: o drama da interrupção da linha telefónica e a emoção da chegada da fatura da Portugal Telecom.  

 

Mais tarde, já com a TV Cabo, iniciei-me no universo do mIRC. Havia canais para tudo: para praticar o inglês com pessoal de todo o mundo, para falar das bandas favoritas, para cortar na casaca dos profs, para engatar. Não havia cá triagens, baseadas em foto de perfil ou nos amigos em comum. Quem usava o mIRC era um rebelde a viver no limite. Apenas um nick “identificava” quem teclava. O discurso começava sempre com “Oi”, seguido de “m/f?” e “ddtc?”. Volta e meia, no decorrer de uma conversa inocente, um ficheiro .jpeg era recebido sem pré-aviso ou contextualização. Momentos de horror. Sim, foram várias as pilinhas que vi e, prontamente, enviei para a reciclagem.

 

Falando em conversa, com os preços proibitivos praticados nos tarifários móveis, a malta tinha de inventar estratégias. Então davam-se toques. Apenas e tão somente isso. Toques. Ainda me lembro de me encher de coragem para dar um toque ao rapaz de quem gostava. Recordo-me também de ficar horas à espera da resposta. Que nunca chegou. “Não deve ter saldo”, pensava eu. Totó.

 

A introdução das SMS foi o auge do móvel, a puta da loucura. O limite de caracteres era pequeno, o custo elevado mas a experiência era absolutamente impagável.

 

E, claro, tínhamos o saudoso telefone fixo sem identificador de chamadas. Telefonemas fantasma e brincadeiras com as listas das Páginas Amarelas eram passatempos deliciosos. Quem nunca ligou para um número aleatório, a pedir para falar com a Senhora Vaca ou com o Senhor Porco é, claramente, um ovo podre.

 

E, pronto, agora chega de nostalgias que tenho uma vida. Preciso de actualizar o Facebook.

 

publicado por ARA às 14:21
link do post | comentar | favorito (1)
2 comentários:
De CC a 20de Novembro de 2015 às 16:06
Levei imenso para me lembrar o que é que significava "ddtc"? Só tu Andreia, só tu para te lembrares de coisas destas. :P
De ARA a 25de Novembro de 2015 às 21:03
Já sabes o que a casa gasta :D

Comentar post

Seguir no SAPO


ver perfil
seguir perfil

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

grande animação! ;)
Se foi essa tragédia toda por causa de uma venda n...
Hmm, eu pensei que não valia a pena por Billy ou B...
Nunca imaginei que um simples anúncio poderia prov...
Obrigada, mami! Graças a elas, há material para po...

Posts recentes

Deixe o amor entrar*

Do Barril

Das leis do Universo

A Guerra dos Tronos

A menina escreve?

Arquivo

Novembro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Janeiro 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Mais comentados

subscrever feeds