30.10.15

Just smile.

10929555_10152820446248441_73355039797190054_n12189902_10153218613263441_5307186089496871623_n

 

Faz hoje 6 meses que coloquei o meu aparelho dentário. As diferenças são assustadoramente positivas. Por norma, sou optimista. A verdade é que nunca, na melhor das hipóteses, pensei que em meio ano fosse possível ter esta mudança.

 

Mas vamos a um breve enquadramento: há 6 meses, eu tinha 30 anos, um diastema [espaço entre dentes] gigante e um desfasamento considerável [agora mais suavizado] entre maxilar e mandíbula. Ou seja, um misto de Seal e Mr. Burns dos Simpsons. Estão a ver?

 

Pela frente, à partida, tenho 12 meses de tratamento, uma possível cirurgia maxilofacial e aparelhos de contenção [colocados atrás dos dentes] para a vida. Os dentes têm memória e, por isso, se não houver contenção, voltamos ao Seal Burns. Não queremos isso.

 

Ora, e agora, perguntam-se “porque raios esperaste 30 anos para botar um aparelho dentário se essa esquelética já vinha no teu ADN filhinha?”. O tratamento é caro, não é pêra doce, vários médicos rejeitaram o meu caso sem sequer fazerem um estudo aprofundado, outros afirmavam que a operação era obrigatória. A par disso, em adolescente, a ideia de usar aparelho era mais assustadora do que continuar a ser gozada como habitualmente na escola.

 

Sim, há 20 anos não era cool usar aparelho. Muito menos óculos. Aos 15, diagnosticaram-me miopia. A somar ao insucesso que já tinha no recreio, a rede social de então, um par de lunetas na tromba aumentou o número de pokes. Vamos lá deixar a história do aparelho de lado.

 

Com o passar dos anos, decidi que havia de viver bem com a aparência dos meus dentes, com a “diferença” que me fazia destacar dos demais. E assim vivi até ao dia em que o meu dentista me explicou quais seriam as consequências de não resolver esta questão: poderia começar a perder dentes saudáveis, por falta de apoio estrutural.

 

E assim, aos 30 anos, assumi a miopia com uns óculos XL [durante muito tempo usei lentes de contacto, de forma pouco ortodoxa, resultando numa úlcera na córnea] e coloquei o aparelho. Hoje, escrevo este post com o desejo de dar força a alguém que ande hesitante com a ideia.

 

Sugiro que considerem vários médicos, que oiçam as suas opiniões e abordagens. Trocas de experiência, de amigos e família, são importantes. No entanto, pelo menos para mim, a escolha do médico passou por confiar na minha intuição. É muito importante existir empatia com o médico. Convém que haja facilidade de comunicação e objectividade, sentir que estamos em boas mãos, afinal, mensalmente lá estaremos sentadinhos na cadeira. Estou imensamente feliz com o meu médico, em quem deposito a maior confiança.

 

Antes da colocação do aparelho, extraí todos os meus sisos e fui submetida a uma pequena cirurgia para remover o freio labial. Não foi fácil, não foi bonito. Mas foi bem feito. Com paciência, medicação e os cuidados certos, ultrapassei essa primeira etapa.

 

No dia D, após algumas horas de boca aberta e dormente, o aparelho lá estava, seguro por borrachinhas rosa choque. Se é para usar, que seja tcharan. A sensação de ter um corpo estranho na boca [no meu caso, colocou-se logo a maquinaria completa, no maxilar e mandíbula] é isso mesmo, estranha. Andei dois dias com os lábios inchados [perfeito para selfies duck face], tive feridas na mucosa, mal conseguia comer pois parecia que todos os dentes se moviam. Aliás, não parecia, os dentes efectivamente estavam em movimento.

 

Ao fim de uma semana, a situação melhorou. Aos poucos, já não precisava de processar a comida e já conseguia dar umas dentadas. E assim é todos os meses. Nos dias seguintes à revisão, e ao aperto literal de que somos vítimas, tudo volta à “normalidade”.

 

Não nego, há momentos em que é doloroso comer uma fatia de pão, há ocasiões em que comer socialmente é uma merda [abortar verduras, abortar!!!], há noites em que acordamos submersos em baba [sim, a produção de saliva aumenta pois existe todo um apêndice no interior da boquinha]. São apenas momentos. À medida que o tempo passa, sinto-me muito mais confortável, mais bonita e mais confiante.

 

E rio senhores, rio muito e rio alto.

 

 

publicado por ARA às 14:20
link do post | comentar | favorito (1)
4 comentários:
De Carochinha a 2de Novembro de 2015 às 20:56
Lembrei -me tão bem de quando eu tinha aparelho! Era tudo isto! :) Lembro-me de andar uma semana a comer sopa de palhinha, de emagrecer e ficar toda contente! Andei dois anos a comer maçã partida com a faca e croissants bucha à bucha, sem dar uma dentada em nada. Às vezes ainda faço isso, ficou tipo vício! :) Houve uma fase que tinha um arame no céu da boca de um lado a outro, comia caldo verde e parecia que tinha as couves penduradas lá a secar tipo roupa no estendal! :) Sempre me ri muito de tudo isso! É uma fase e estás a ficar espectacular! Fizeste lindamente!
De ARA a 3de Novembro de 2015 às 17:21
Aiii o que me ri com o caldo verde :D Não creio que vá precisar desse aro no céu do boca mas hoje vim do dentista com dois elásticos não muito melhores. Mal consigo abrir a boca tal é a força dos bichos. Mas vale e valerá a pena. Obrigada pela força minha querida. Beijocas
De saritaalmeida a 27de Novembro de 2015 às 12:40
Mesmo com aparelho,tens um sorriso muito bonito,gostei das fotografias!!
De ARA a 30de Novembro de 2015 às 22:51
Obrigada :D

Comentar post

Seguir no SAPO


ver perfil
seguir perfil

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

grande animação! ;)
Se foi essa tragédia toda por causa de uma venda n...
Hmm, eu pensei que não valia a pena por Billy ou B...
Nunca imaginei que um simples anúncio poderia prov...
Obrigada, mami! Graças a elas, há material para po...

Posts recentes

Deixe o amor entrar*

Do Barril

Das leis do Universo

A Guerra dos Tronos

A menina escreve?

Arquivo

Novembro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Janeiro 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Mais comentados

subscrever feeds